Que bom! Férias

Parece contraditório, mas as férias estão chegando e já começa outra correria.


As crianças vão marcando no calendário cada dia que falta para o final das aulas.


Os pais começam a pensar para onde ir, repetir o programa do ano anterior, talvez, a casa de praia ou de campo, pacotes nacionais, ou uma escapada além fronteira.


Algumas famílias se organizam antecipadamente para evitar maiores problemas, mas isso não significa estar isento deles, porque na última hora, podem descobrir que aquela empresa que operava a tal viagem deixou de fazê-lo e então começa a dor de cabeça, mas tudo se resolve.
Outras, em função do ritmo de trabalho e acúmulo de compromissos, acabam acordando na última hora e aí “o que fazer?”. Não se desespere, dê asas à criatividade e com certeza encontrará um excelente programa.
Para famílias maiores e com filhos de diferentes idades, sexo e gostos, as férias se tornam um quebra cabeça, é necessário juntar as peças para descobrir um passeio que agrade o máximo possível.


Mas nem sempre os pais têm férias, ou estas são apenas parciais, então o que fazer? O ideal é contar com a colaboração de amigos e familiares, para dar conta da energia das crianças, com programas caseiros, passeios ou cursos locais.


Para quem resolve viajar, surgem ainda outros problemas, dar férias ou não para os profissionais da casa? E o gato, o cachorro e o papagaio, quem vai cuidar deles? Também vão para o hotel?


Assim, as férias podem conter fatores altamente estressantes, desde a busca de onde ir, contentar a todos, enfrentar congestionamentos, aeroportos superlotados, atraso de vôos, excesso de pessoas nos lugares mais freqüentados e requisitados, além de ter que dar conta da energia dos filhos. 


E na volta, ao conferir o extrato do cartão e o saldo bancário, os gastos podem ser acima da estimativa prevista, e mais um susto.


A verdade é que no mundo moderno o estresse nunca nos abandona. 
O melhor das férias mesmo é entrar no espírito, olhando os problemas de outro ângulo, internalizando que este estresse deve ser positivo, procurar curtir as pessoas, o momento, os lugares e relaxar, permitindo que as baterias sejam recarregadas, caso contrário na volta se está mais cansado do que quando saiu.

Natalia Marques Antunes – Psicóloga Clínica, Consultora em Saúde Organizacional com Formação em Coaching (Life Self – Sistema ISOR)



O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxApple SafariOpera