Tensão, Estresse em Advocacia

Na última década têm sido realizadas pesquisas nos Estados Unidos e no Reino Unido demonstrando que a profissão de Advogados é propensa ao estresse, depressão e alcoolismo. 


Em 2009, foi realizada uma pesquisa pela AOB de Curitiba elaborada pela pesquisadora Birgit Keller e com a colaboração de outras entidades de Saúde, abordando aspectos físicos e psicológicos relacionados à rotina do advogado em seu ambiente de trabalho e na família. Essa pesquisa revelou que 54% dos advogados trabalham de 8 à 12 horas diárias, apenas 17% tem tempo disponível para os filhos no final de semana. Uma parcela de 46% realiza exames periódicos uma vez por ano, 12% a cada seis meses, mas 17% nunca fizeram. A maioria é formada por ex-praticantes de atividades físicas, atualmente apenas 12% praticam três vezes por semana e 8% apenas nos finais de semana. Para a pesquisadora estes profissionais têm um nível moderado de estresse.


Além desses índices, podemos incluir outros registrados do cotidiano do profissional, que já se iniciam na formação, o estudante debruçasse sobre leitura de livros específicos com custos elevados exigindo um alto investimento. Após a sua formação é necessário um exame realizado pela OAB, sem essa aprovação não poderá atuar na profissão, podendo permanecer no nível de estagiário ou assistente de um profissional.
A competição é acirrada, o número de profissionais que se forma a cada ano é ainda maior.


As horas de dedicação ao trabalho são divididas no atendimento ao cliente que na maioria das vezes se encontra numa grande tensão emocional e que com a sua verdade, busca uma solução para o seu problema, depositando sobre o profissional seu anseio de sucesso. Seguem-se as pesquisas para embasamento e elaboração dos argumentos a serem utilizados na defesa. Deslocamentos ao fórum, espera para ser atendido, muitas vezes por profissionais sobrecarregados e insatisfeitos nas suas funções. Estas horas muitas vezes são roubadas do convívio familiar e de amigos, que cobram mais participação; das atividades de exercícios físicos e do lazer que não são realizados.


Os prazos precisam ser cumpridos (mesmo em período de greve do Forum), as cobranças dos clientes são constantes, audiências são desmarcadas e remarcadas, o judiciário atravancado de causas é moroso, os anos passam, os custos se elevam e as cobranças aos clientes nem sempre podem ser repassadas.


È necessário uma ampla carteira de clientes, com vários processos correndo ao mesmo, onde não se tem certeza se o sucesso virá e quando.
A Advocacia é uma profissão meio que depende de outras instancias para o seu desempenho. Há demora do judiciário e mudanças de legislação que muitas vezes podem jogar por terra o trabalho de anos.


Esse conjunto de fatores se constituem nos estressores cotidianos da vida do Advogado.


O estresse é uma reação natural do organismo aos agentes estressores, informando ao indivíduo o que esta ocorrendo para que ele tome consciência e procure uma forma saudável de se adaptar, sem maiores desgastes físicos ou emocionais, mas nem sempre prestamos atenção e seguimos na nossa rotina.


Como em outras profissões o estresse vai chegando de mansinho, os primeiros sintomas são taquicardia, dor de cabeça, sudorese, insônia, alteração do apetite e pressão no peito, é a fase de Alarme.


Se a rotina não se altera e o profissional não busca seu ponto de equilíbrio, segue-se aumento da irritabilidade, busca do isolamento, incapacidade de se desligar, ranger os dentes e apertar as mandíbulas, é a fase de Resistência.


A fase de Exaustão é a instalação propriamente dita das doenças físicas e/ou mentais, que são as cardiopatias, depressão, fobias, Síndrome de Pânico e Síndrome de Burnout.


Para superar o estresse, ao invés de uma saída saudável, o profissional pode buscar a compulsão pela ingestão de álcool, drogas e medicamentos sem consulta ao profissional médico, resultando num agravamento ainda maior do seu quadro.


Assim, a melhor saída para uma vida saudável dentro da profissão da Advocacia, é reconhecer os riscos aos quais estão sujeitos e procurar minimizá-los através de atividades que lhe dêem um equilíbrio e harmonia maior.


Para se ter Qualidade de vida, mesmo com a correria do dia a dia, é necessário algumas atitudes, como se prepara para uma boa noite de sono, manter bom relacionamento com familiares e amigos, praticar atividade física, andar descalço, reservar alguns momentos só para você, praticar meditação, leitura desvinculada do trabalho, brincar com seus filhos, escutar música, cantar… ou seja qualquer coisa saudável que lhe dê momentos de prazer.


Caso não consiga realizar todas essas recomendações, eleja algumas delas como principais, e vá aos poucos incorporando no seu dia a dia outras que mais lhe agrade.


Se perceber que não consegue superar as dificuldades que esta sentindo, ou que vive uma fase mais avançada de estresse, não tema em procurar ajuda de um profissional de saúde.


A vida se torna perene quando deixamos como legado o que fomos.

Natalia Marques Antunes – Psicóloga Clínica, Consultora em Saúde Organizacional com Formação em Coaching (Life Self – Sistema ISOR)

 

 



O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxApple SafariOpera