Sustentabilidade e Longevidade

Tive a oportunidade de assistir a palestra do pensador e teólogo Leonardo Boff, no X Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, onde ele tece considerações sobre o papel das pessoas e das organizações na sustentabilidade do planeta Terra.


O meu objetivo não é reproduzir a palestra, mas suscitar algumas reflexões, principalmente que a base da qualidade de vida do homem é ter condições ambientais favoráveis do planeta, e que, só assim poderemos ser felizes.


Todos os sistemas se inter-relacionam cada vez mais na busca de uma maior sustentabilidade do planeta, e quem não faz precisa despertar para isso.


Na história da humanidade o homem sempre teve um comportamento extrativista, tirando o melhor do solo, da água e do ar, devolvendo o lixo diário sem preocupação com o futuro.


De acordo com Leonardo Boff, a busca da nossa felicidade depende da qualidade de vida no planeta Terra.


O bem viver tem como núcleo central o equilíbrio entre, homem / mulher / natureza / trabalho / lazer /diversão, sabendo escutar o coração da Terra, inserida no espaço cósmico.


O homem é ilimitado no seu potencial, está sempre fazendo novas descobertas, mas os recursos do nosso velho e pequeno planeta são limitados.


O homem precisa ser criativo para reverter esse processo, criar novas possibilidades, construir algo novo.


Para Leonardo Boff, é necessário trocar o modelo masculino racional, pelo feminino de amor e enternecimento. Trabalhar com a razão cordial, sensível, com sentimento, paixão, porque o sentido da vida é o coração e a emoção.


Precisamos tratar a mãe Terra com profundo carinho para dar sustentabilidade a tudo que nasce e cresce. 


A mãe Terra esta doente precisa ser tratada, o homem precisa redimensionar o consumo, reciclar, reutilizar, rearborizar, re-harmonizar…
Então me dou conta de que a cada década a longevidade do homem aumenta, seremos mais, e mais velhos, portanto o nosso compromisso não deve ser apenas com as novas gerações, mas com o nosso futuro.
Precisamos amar o nosso planeta, pois temos a responsabilidade de criar condições de sermos felizes dentro dessa nova perspectiva.


“Uma vida sem amor é como árvores sem flores e sem frutos. E um amor sem beleza é como flores sem perfume.” (Gibran Temporais)

Natalia Marques Antunes – Psicóloga Clínica, Consultora em Saúde Organizacional com Formação em Coaching (Life Self – Sistema ISOR)



O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxApple SafariOpera