O que esperar na pós-pandemia

A humanidade se encontrava numa zona de conforto, cada um vivendo a sua vida, onde tudo fluía de uma forma organizada e estável, haviam as guerras, as crises políticas, a previsão de um futuro sombrio para algumas profissões com a chegada das novas tecnologias, o meio ambiente cada vez mais em risco e de repente tudo foi sacudido e tirado dessa tranquilidade.

 O futuro chegou e foi impulsionado por um elemento intangível e invisível, gerando um sentimento de impotência diante da falta de controle e constantes informações das mais diversas fontes, que se somam e muitas vezes se contradizem. A realidade de hoje pode ser contestada momentos ou dias depois, mas as perdas de vidas não. As pesquisas cientificas avançam e têm seu tempo de resposta, que nem sempre é o mesmo das decisões políticas e econômicas, que muitas vezes atropelam a ciência.

Com o isolamento social imposto e necessário, nossas vidas e atos passaram a ser controlados pelo medo do desconhecido, mas observa-se pessoas que se expõem desnecessariamente a riscos, até mesmo como uma negação do perigo real. Outras são obrigadas a vestir a couraça da coragem diariamente e driblar o sentimento de medo para cumprir seu papel profissional.

Desta experiência que estamos vivenciando, alguns hábitos, atitudes e ações serão incorporados na nossa vida cotidiana e algumas mudanças que já estavam em curso serão implementadas de forma efetiva.

A era digital ganhou mais força, tudo que nos remetia a ela foi acelerado, seja no conhecimento, no trabalho, nos relacionamentos, na política e nos negócios em geral. Abaixo ressaltamos algumas mudanças que se processaram ou estão em curso:

Educação à Distância

Os cursos à distância já existiam e vinham sendo implementados progressivamente, mas em face do isolamento social, estes foram ampliados de forma radical a todos os níveis educacionais.

Vários obstáculos estão sendo enfrentados, principalmente por alunos de escolas públicas que tiveram maiores dificuldades, por vários motivos, desde o envio e a precariedade do material, a condição socioeconômica e habitacional, que nem sempre conseguem driblar as adversidades e ficam à deriva. As instituições privadas se esforçaram ao máximo para atingir os objetivos com seus alunos. Essa diferença nas ações abre mais um distanciamento entre o ensino público e o privado.

As instituições de ensino e professores foram obrigados a criar condições para repassar o conhecimento aos seus alunos, independentemente do nível escolar (da educação infantil, ensino fundamental, intermediário, superior...).

Protocolos estão sendo criados para a volta, mas já se prevê que no momento inicial não será 100% presencial, por um longo período de tempo, assim serão implementadas e aperfeiçoadas cada vez mais ações de ensino à distância.

Saúde e manutenção da vida

O sistema de saúde público, que nem sempre atendia a necessidade da população, passou a ter um papel fundamental, sendo alavancado para evitar a perda do maior número possível de vidas.

As pesquisas ganharam uma força em todo o planeta, buscar um medicamento ou vacina em menor tempo é a meta. Uma rede planetária se tornou necessária.

O teleatendimento passou a ser um recurso dos sistemas de saúde público e privado, evitar ambientes que possam estar contaminados passou a ser a regra, assim qualquer manifestação de enfermidade pode passar por uma triagem e atendimento à distância. Acredito que este se manterá como um novo item de nossas vidas.

Home Office

O isolamento social impulsionou o trabalho à distância, o que parecia quase impossível no passado para alguns se mostrou totalmente factível, de tal forma que algumas empresas já informaram a seus colaboradores que a probabilidade de retorno ao espaço físico será possível só a partir de 2021 (Facebook, Google); em outras empresas, só as atividades que são extremamente necessárias retornarão ao espaço físico (Twiter); outras propõem uma volta escalonada e alternada para o segundo semestre.

Muitos ajustes são necessários para tornar o home office cada vez mais eficiente e estão em curso, preparar os Lideres é fundamental, pois se tornam necessários mecanismos de controle e motivação mais efetivos.

A relação com o trabalho mudou, é obvio que essa modalidade gera uma economia para a empresa, que pode ser repassada para os colaboradores (algumas empresas disponibilizaram ferramentas de trabalho, equipamentos de ergonomia e assumiram custos com a internet, outras não); além disso, o tempo de exposição ao trabalho passou a ser mais focado sem a distração para um café ou diálogo com um colega; algumas empresas estão mudando as exigências pela produtividade e tarefa e não pelo tempo.

Os trabalhos em equipe exigem uma dinâmica, que nem sempre é alcançada com eficiência e precisa ser aprimorada.

É fato que as novas tecnologias e ferramentas de informática possibilitaram esse avanço.

Mercado imobiliário

Muitos locatários têm solicitado desconto, não só pessoas físicas, como comerciais.

Espaços locados devem ser devolvidos por empresas que diminuirão a ocupação, e outras por não darem continuidade às atividades. Com o crescimento acentuado do e-commerce e as restrições a espaços fechados, os Shoppings Centers sofrerão, possivelmente, um deságio.

Um novo modelo de negócio deverá surgir para restaurantes, com o aumento e manutenção do delivery e com isso haverá uma revisão da utilização desses espaços.

Por outro lado, para evitar deslocamentos, haverá uma busca por imóveis mais próximos ao local de trabalho, visando diminuir a necessidade de transportes.

Está prevista uma mudança neste setor e as consequências serão sentidas por locadores por um bom tempo.

Entretenimento

Muitas lives patrocinadas foram realizadas por ícones da música nacional e internacional durante este período de isolamento, arrecadando contribuições para entidades assistenciais. As redes sociais, aplicativos e redes de TV estão sendo fundamentais.

Como uma volta no tempo, o cinema drive-in foi recriado, e seguindo a mesma linha estão surgindo o show-in, mas com novo arsenal tecnológico.

Este setor ainda sofre muito, a maioria dos profissionais do mercado está sem atividades (turismo, teatros, cinemas, bares de música, circos...) e o retorno ainda passa pela definição de protocolos seguros para a saúde de todos.

Sentido de vida

Entender a própria essência, rever crenças e valores, perceber que não temos controle sobre nada, que o nosso papel como pessoa e profissional deve ser alinhado com nosso propósito de vida passou a ser percebido como fundamental por muitos.

Diante da necessidade do isolamento, menos passou a ser mais, a qualidade e a manutenção dos relacionamentos a distância passou a ser fundamental para a saúde emocional.

Ajudar quem precisa por quem pode mais passou a ser palavra de ordem.

Ainda temos que vencer o vírus e, para isso a sociedade, os governos e a ciência empregam todos os seus esforços.

É fato que a recuperação econômica de pessoas sem trabalho, empresas, estados e países, exigirá muito esforço, resoluções acertadas, dedicação e uma longa batalha a ser travada.

As incertezas de novas pandemias vieram para ficar, cada um precisa fazer o seu papel para sua proteção e do outro e a tecnologia continuará a ser a grande aliada da humanidade.

A verdade é que não é uma gripezinha, "É um vírus muito agressivo (...). Mas é preciso ser otimista. É grave, mas nem sempre é letal", reflete a médica cirurgiã Angelita Habr-Gama, de 88 anos que ficou na UTI por 50 dias e voltou ao trabalho no Hospital Oswaldo Cruz.

Natalia Marques

Psicóloga/Coach/Palestrante

 



O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxApple SafariOpera